Malbec

A história das uvas Malbec é parecida com a das Tannat. Isso porque elas também são francesas, mas produzidas na Argentina com excelência. Na realidade, os portenhos são responsáveis por mais da metade da produção de vinhos desse tipo em todo o mundo. Graças à união do clima, da geografia e das características singulares do solo argentino, esse se tornou o vinho assinatura dos nossos vizinhos. A variação brusca de temperatura ao longo de um único dia — muito quente durante a manhã e bastante frio durante a noite — é ideal para que as uvas cresçam e amadureçam no tempo correto. O resultado dessa combinação são bebidas com taninos maduros e bastante arredondados. Sua textura aveludada também é um ponto que merece destaque, assim como o sabor intenso e os aromas que trazem tons de ameixas, figos e cerejas. Também é possível notar traços de baunilha, café, tabaco e cacau em alguns exemplares. Se envelhecido em barris de carvalho, sua estrutura agrega ainda mais força e prazer ao paladar. Nesses casos, podem surgir também aromas de couro e notas torradas adicionais à bebida. Sua coloração é tinta e intensa, com tons entre o vermelho e o violeta escuro — embora existam exemplares de rosés e até de espumantes feitos a partir das uvas Malbec. Por esse motivo, a harmonização é bastante ampla, indo desde carnes vermelhas com temperos marcantes até receitas leves e refrescantes, com vegetais e ervas.

Exibindo 1–16 de 17 resultados